Catecismo da Igreja Católica


"PAI,... a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o Deus único verdadeiro, e aquele que enviaste, Jesus Cristo" (Jo 17,3). "Deus, nosso Salvador... quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade" (1 Tm 2,3-4). "Não há, debaixo do céu, outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos" (At 4,12), afora o nome de JESUS.

Primeira Parte: A Obra da Reconciliação

A CRIAÇÃO

Tal como nos é relatado no Livro do Gênesis, Deus criou o homem a sua imagem e semelhança (ver Gn 1,27) para que fosse feliz na terra, louvando a Deus e dominando a natureza, da qual foi feito Senhor (ver Gn 1, 29-30).

Deus criou o homem por amor, e tudo o criado era expressão deste amor de Deus pelo homem. Por isso, até antes do pecado, o homem vivia em plena harmonia, reconciliado com Deus, consigo mesmo, com os seres humanos e com toda a criação. O homem vivia, portanto, em estado de felicidade.

Por que Deus criou o homem?
Por amor, por puro amor.

Como Deus criou o homem?
O criou à sua imagem e semelhança.

Para que Deus criou o homem?
O criou para que o louvasse, fosse feliz, vivesse em harmonia com seus congêneres e dominasse a criação.

Deus criou todas as coisas boas?
Sim, Deus criou todas as coisas boas em si, porque d'Ele não pode sair mau. 

O PECADO ORIGINAL

A causa do mal no mundo é o pecado. O Diabo e os demônios foram criados por Deus, mas eles mesmo se tornaram maus porque cometeram o grande pecado de rejeitar a deus. Imediatamente foram lançados ao inferno, condenados para sempre.

Por seu pecado têm ódio a Deus e inveja aos homens. Por isso tentaram a Adão e a Eva, nossos primeiros pais, dizendo-lhe que se desobedecessem a Deus, seriam como deuses e conheceriam o bem e o mal.

Adão e Eva, deixaram-se enganar pelo demônio e desobedeceram a Deus. Este foi o primeiro pecado na terra: o pecado original, e por isso todos os descendentes de Adão e Eva, exceto a Santíssima Virgem Maria, viemos ao mundo com o pecado original na alma, e com as conseqüências daquele primeiro pecado, que nos é transmitido pela geração.

Por que existe o mal e a morte?
O mal e a morte existem pela inveja do Diabo, que é mal e mentiroso e pelo pecado de nossos primeiros pais.

Quem são o Diabo e os outros demônios?
O Diabo e os outros demônios são seres espirituais, com inteligência e vontade, criados por Deus como anjos bons, mas que rejeitaram a Deus e se tornaram maus para sempre.

Quem foram nossos primeiros pais?
Nossos primeiros pais foram Adão e Eva, e deles descendemos todos os homens.

Em que condições Deus criou a Adão e Eva?
Deus criou a Adão e Eva muito bons e felizes, com a graça santificante e muitas qualidades e com os dons da imortalidade, a impassibilidade e a integridade.

Nossos primeiros pais conservaram os dons com que foram criados?
Nossos primeiros pais não conservaram os dons com os quais foram criados, porque se deixaram enganar pelo demônio e desobedeceram a Deus, cometendo assim o primeiro pecado.

Quem foram os prejudicados com o pecado de nossos primeiros pais?
O pecado de nossos primeiros pais prejudicou a eles e também a todos os seus descendentes, que somos todos os homens e mulheres do mundo.

O que é o pecado original?
O pecado original com o qual todos nascemos é a privação da santidade e justiça originais. O pecado introduz no mundo uma quádrupla ruptura: a ruptura do homem com Deus, consigo mesmo, com os demais seres humanos e com toda a criação.

Que conseqüências tem o pecado original para nós?
Produto destas rupturas, as conseqüências que tem o pecado original para nós são: a debilitação da natureza humana, que ficou submetida à ignorância, ao sofrimento, à morte e à inclinação ao pecado. 

O PLANO DE RECONCILIAÇÃO: O SENHOR JESUS

Para realizar a reconciliação dos homens, Deus preparou a uma mulher, cobrindo-a de graças especiais para que fosse a Mãe de Deus. A livrou do pecado original e de todo pecado, desde o primeiro momento de sua existência e sempre foi santíssima. Essa mulher, Maria, seria a Mãe de Deus e por isso, autêntica Mãe nossa.

Um dia Deus enviou o Arcanjo Gabriel à cidade de Nazaré, à Virgem Maria, que era desposada por São José. A saudou chamando-a "cheia de graça", e lhe expôs o Plano de Deus: Ela seria a Mãe do Salvador por obra do Espírito Santo, porque para Deus nada é impossível.

A Virgem Maria aceitou imediatamente o plano de Deus dizendo: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo tua palavra" (Lc 1,38). Naquele mesmo momento, fez-se Homem a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, sem deixar de ser Deus.

Quem é a Santíssima Virgem Maria?
A Santíssima Virgem Maria é a Nova Eva, a Mulher perfeita, cheia de graça e de virtudes, concebida sem pecado original, que é Mãe de Deus e mãe nossa, e que está no céu em corpo e alma; que nos acompanha permanentemente em nossos esforços por ser cristãos com grande solicitude e amor maternal.

Por que dizemos que a Virgem Maria é verdadeiramente Mãe de Deus?
Dizemos que a Virgem Maria é verdadeiramente Mãe de Deus porque é a mãe do Filho eterno de Deus feito homem, que é o próprio Deus.

Por que dizemos que a Virgem Maria é nossa mãe?
Dizemos que a Virgem Maria é nossa mãe porque, por sua obediência, converteu-se em nova Eva, mãe dos viventes; além disso, porque é Mãe de Jesus Cristo, com quem estamos unidos pela graça, formando um só Corpo Místico.

Quais são os singulares privilégios que Deus concedeu à Virgem Maria?
Os singulares privilégios que Deus concedeu à Virgem Maria são: sua Concepção Imaculada, sua perpétua Virgindade, sua Maternidade divina e sua Assunção em corpo e alma aos céus.

Que lugar a Santíssima Virgem Maria ocupa no Plano de Reconciliação?
A Santíssima Virgem Maria ocupa na redenção o lugar de Cooperadora da Redenção, porque colaborou com sua livre fé e obediência à reconciliação dos homens. Por desejo explícito do Senhor Jesus, que nos apontou-a como Mãe (ver Jo 19,27), Maria é verdadeiramente Mãe de todos os cristãos, que realizam sua peregrinação terrena sob os ternos cuidados maternais e a companhia de Maria.

a missão do senhor jesus

Os quatro Evangelhos nos contam a vida do Senhor Jesus, que todo cristão deve conhecer.

Em resumo, a vida de Jesus foi desta maneira: Jesus nasceu em Belém e foi posto em um presépio, envolto em faixas; ali foram adorá-lo os pastores, e os anjos cantaram: "Glória a Deus no céu e paz na terra aos homens de boa vontade". Depois foram adorá-lo os Magos do Oriente.

O rei Herodes quis matar ao Menino, e São José e a Virgem fugiram com Ele para o Egito. Mais tarde voltaram a Nazaré onde Jesus cresceu e trabalhou como artesão na oficina de José, dando-nos exemplo de santificar a vida da família e o trabalho que deve ser bem feito e grato a Deus.

Depois, durante três anos, pregou sua doutrina, a que nos ensinou da parte do Pai Celestial, e passou fazendo o bem, com muitos milagres, demonstrando que era Deus e que vinha para nos salvar. Porque nos amou, instituiu a Sagrada Eucaristia e fez dos Apóstolos sacerdotes, e depois começou a sua Paixão dolorosa até morrer pregado na Cruz, assim nos redimiu ou seja, pagou ao Pai celestial o preço de seu sangue e de sua vida, por todos os pecados de Adão e Eva e de seus descendentes, que somos todos os homens e mulheres do mundo.

Morto Jesus, foi posto em um sepulcro, mas ao terceiro dia ressuscitou e apareceu vivo e glorioso às santas mulheres e aos Apóstolos; aos quarenta dias subiu ao Céu, prometendo que enviaria o Espírito Santo.

Onde Jesus nasceu?
Jesus nasceu em Belém.

Por que os Pastores de Belém e os Magos do Oriente foram adorar ao Menino Jesus?
Os Pastores de Belém e os Magos do Oriente foram render homenagem ao Menino Jesus porque sabiam que era o Salvador que havia sido prometido.

Porque Herodes quis matar ao Menino Jesus?
Herodes, que era muito mau, quis matar ao Menino Jesus porque temia que lhe tiraria o reino.

Quem avisou a São José de que Herodes queria matar ao Menino Jesus?
Um anjo avisou a São José e lhe disse em sonhos: Levanta-te, apanha o Menino e sua Mãe, e foge para o Egito, e fica ali até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o Menino para matá-lo.

Para onde foi a Sagrada Família quando voltou do Egito?
Quando voltou do Egito a Sagrada Família foi viver em Nazaré.

O que fazia em Nazaré?
Em Nazaré Jesus crescia e obedecia a sua Mãe e a São José, e os três nos deram exemplo de amar-se e trabalhar bem para o Pai celestial.

Que valor tinha a vida cotidiana e simples de Jesus?
A vida cotidiana e simples de Jesus tinha um valor redentor e, além disso era um exemplo para todos nós, que temos que nos santificar por meio do trabalho.

Com que idade Jesus começou sua pregação e milagres?
A pregação do Senhor Jesus, feita de obras e palavras, constituiu em estabelecer o Reino de Deus, que é a Igreja; EM DAR A CONHECER A VIDA DE DEUS e nossa filiação divina, junto com sua santa Lei.

O que são os milagres?
Os milagres são feitos que não podem ser explicados pelas lei naturais, mas somente pelo poder de Deus.

Para quê o Senhor Jesus realizou milagres?
Jesus realizou milagres para demonstrar seu amor aos homens, para confirmar sua doutrina e para mostrar-se como Deus e como o Messias prometido.

Como o Senhor nos reconciliou?
O Senhor Jesus nos reconciliou cumprindo o plano de Deus até morrer na Cruz e ressuscitar gloriosamente.

Para que Jesus no reconciliou?
O Senhor Jesus nos reconciliou para nos livrar dos nossos pecados e obtermos o perdão e amizade com Deus.

Por quem Jesus padeceu?
Jesus padeceu e morreu por todos os homens.

Quando Jesus Cristo ressuscitou?
Jesus Cristo ressuscitou do sepulcro após o terceiro dia de sua morte.

Como o Senhor ressuscitou?
Jesus Cristo ressuscitou unindo de novo sua alma ao corpo e saindo vivo e glorioso do sepulcro.

Quem foram os primeiros a ver Jesus ressuscitado?
Os primeiros a verem a Jesus ressuscitado foram as santas mulheres, que foram de madrugada ao sepulcro, o encontraram vazio, alguns anjos lhes disseram que tinha ressuscitado, e depois o próprio Jesus apareceu-lhes glorioso.

Os Apóstolos viram a Jesus ressuscitado?
Sim, os Apóstolos viram a Jesus ressuscitado; primeiro apareceu a São Pedro, e depois a todos os Apóstolos em várias ocasiões, e mais uma vez, a mais de quinhentas pessoas juntas; viram suas chagas gloriosas e inclusive chegaram a cear com Ele.

Em que dia o Senhor ressuscitou?
O Senhor ressuscitou no amanhecer do Domingo, e por isso a Igreja santifica o Domingo -dia do Senhor - com o preceito do descanso dominical e a obrigação de assistir à Santa Missa.

Quando tempo Jesus ressuscitado permaneceu na terra?
Jesus ressuscitado permaneceu na terra durante quarenta dias, para estar com os Apóstolos, que eram os alicerces da Igreja Católica fundada por Ele.

Quando Jesus subiu aos céus?
Jesus subiu aos céus aos quarenta dias de ressuscitado, depois de instruir a seus discípulos sobre a Igreja.

Por que Jesus demorou quarenta dias para ir ao céu?
O Senhor Jesus demorou quarenta dias porque quis instruir a seus Apóstolos para que fossem testemunhas de sua Ressurreição, os encarregados de ensinar a todas as gentes e de governar sua Igreja.

O que o Senhor Jesus deu a seus Apóstolos para cumprir esta missão?
Jesus deu a seus Apóstolos seus poderes divinos e a segurança de estar com eles sempre até o fim do mundo.

O que entendemos ao dizer que Jesus está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso?
Ao dizer que Jesus está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso entendemos que Jesus Cristo, enquanto Deus, tem igual poder e glória que o Pai, e que, enquanto homem, participa plenamente deste mesmo poder e desta mesma glória. 

O SENHOR JESUS VOLTA

Com a Segunda vida de Jesus Cristo se instalará definitivamente o Reino de Deus e será vencido para sempre o poder do mal e do demônio. Não sabemos o tempo da Segunda vinda de Jesus Cristo, Deus não quis revelar. Quer que estejamos sempre bem preparados para esse encontro com Ele.

Com o retorno do Senhor Jesus estão relacionados: o fim do mundo presente, a ressurreição dos corpos e o juízo universal. Jesus Cristo será o justo Juiz que dará o julgamento a cada um segundo a suas obras.

O Senhor Jesus voltará a aparecer visivelmente na terra?
Sim, o Senhor Jesus voltará a aparecer visivelmente na terra no fim do mundo, quando vier para julgar aos vivos e aos mortos.

Sabemos quando será o fim do mundo?
Não sabemos quando será o fim do mundo; em conseqüência, devemos sempre estar preparados.

O que entendemos ao dizer que virá para julgar aos vivos e aos mortos?
Ao dizer que virá para julgar aos vivos e aos mortos entendemos que o Senhor Jesus ao fim do mundo julgará a todos os homens e dará a cada um o prêmio ou castigo que tiver merecido. 

O ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, que procede do Pai e do Filho.

Jesus Cristo prometeu aos apóstolos que lhes enviaria o Espírito Santo, o qual lhes recordaria e lhes ajudaria a entender tudo o que Ele lhes tinha dito.

No dia de Pentecostes estavam todos os Apóstolos reunidos em um mesmo lugar e de repente produziu-se um ruído no céu, como de um vento impetuoso que encheu toda a casa onde residiam. Apareceram línguas de fogo que posaram sobre cada um deles.

A ação do Espírito Santo nos Apóstolos tornou-os fortes, audazes e santos para anunciar o Evangelho com fidelidade a todo o mundo.

A Igreja ficou constituída em templo do Espírito Santo; Ele a santifica e faz com que os batizados se unam à Santíssima Trindade.

Quem é o Espírito Santo?
O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, que procede do Pai e do Filho, que o enviaram ao mundo para vivificar e santificar os homens.

Quando Jesus enviou o Espírito à sua Igreja?
Jesus enviou o Espírito Santo a sua Igreja no dia de Pentecostes em forma de línguas de fogo, sobre os Apóstolos e Maria Santíssima.

O que indicavam as línguas de fogo?
As línguas de fogo indicavam que o Espírito Santo vinha para nos santificar por meio da luz da verdade e do calor do amor.

Como o Espírito Santo nos santifica?
O Espírito Santo nos santifica por meio da graça, das virtudes e de seus dons.

O que são os dons do Espírito Santo?
Os dons do Espírito Santo são disposições permanentes, infundidas por Deus, que fazem o homem dócil, para seguir os impulsos do Espírito Santo.

Quais são os dons do Espírito Santo?
Os dons do Espírito Santo são: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade e Temor de Deus. 

A IGREJA CATÓLICA

O Senhor Jesus instituiu sua única Igreja Católica para continuar a redenção e reconciliação dos homens até o fim do mundo. Deu a seus Apóstolos seus poderes divinos para pregar o Evangelho, santificar aos homens e governá-los em ordem à salvação eterna.

Por isso a Igreja Católica é a única verdadeira fundada por Jesus Cristo sobre São Pedro e os Apóstolos; e todos os homens estamos chamados a ser Povo de Deus guiado pelo Papa, que é o sucessor de São Pedro e Vigário e Cristo na terra.

A Igreja Católica é também o Corpo Místico de Cristo, porque, como em um corpo humano, Cristo é a Cabeça, os batizados somos os membros deste corpo e o Espírito Santo é a alma que nos une com sua graça e nos santifica. Por isto a Igreja é também Templo do Espírito Santo.

Em seu aspecto visível a Igreja está formada pelos batizados que professam a mesma fé em Jesus Cristo, têm os mesmos sacramentos e mandamentos, e aceitam a autoridade estabelecida pelo Senhor, que é o Papa.

Estes fiéis, pelo Batismo, se tornam partícipes da função sacerdotal, profética e real de Cristo.

Quem fundou a Igreja?
A Igreja foi fundada por nosso Senhor Jesus Cristo.

Como começou Jesus a fundação da Igreja?
Jesus começou a fundação da Igreja com a pregação do Reino de Deus, chamando dentre os discípulos que o seguiam aos doze Apóstolos, e nomeando a Pedro Chefe de todos eles.

Pode ser reconhecida hoje a verdadeira Igreja?
Sim, hoje pode ser reconhecida a verdadeira Igreja vendo se tem por fundador a Jesus Cristo, se participa dos sete sacramentos, se ama à Santíssima Virgem Maria e se obedece ao Papa. Se falta alguma destas condições, não é a verdadeira Igreja.

Qual é a missão da Igreja?
A missão da Igreja é a mesma de nosso Senhor Jesus Cristo: levar a cabo o plano de salvação de Deus sobre os homens.

Que poderes Jesus deu à Igreja para cumprir esta missão?
Para cumprir esta missão, Jesus deu à Igreja os poderes de ensinar sua doutrina a todas as pessoas, santificá-las com sua graça e guia-las com autoridade.

Quais são as propriedades e notas que Cristo conferiu a sua Igreja?
As propriedades e notar que Cristo conferiu a sua Igreja são quatro: que é Una, Santa, Católica e Apostólica.

Quem são os fiéis cristãos?
Os fiéis cristãos são os que, incorporados a Cristo pelo Batismo, se integram no Povo de Deus e são feitos partícipes a seu modo da função sacerdotal, profética e real de Cristo para desempenhar a missão da Igreja no mundo.

Estão todos os fiéis chamados à santidade e ao apostolado?
Sim, todos os fiéis estão chamados à santidade e ao apostolado, seja qual for sua condição, pelo fato de ter recebido o Batismo e a Confirmação.

Quem é o Pastor supremo e Cabeça invisível da Igreja?
O pastor supremo e Cabeça invisível da Igreja é Jesus Cristo.

Quem é o Papa?
O Papa é o sucessor de São Pedro, o Vigário de Cristo na terra e a Cabeça visível da Igreja.

O Papa pode errar em matéria de fé e de costumes?
Não, o Papa não pode errar quando define doutrina em matéria de fé e costumes, como mestre supremo de toda a Igreja, graças a uma especial assistência do Espírito Santo.

O que devem fazer os fiéis quando o Papa e os bispos propõem um ensinamento mediante seu magistério ordinário?
Quando o Papa e os bispos propõem um ensinamento mediante seu magistério ordinário, os fiéis devem aderir-se a ele com espírito de obediência religiosa.

Quem são os Bispos?
Os Bispos são os sucessores dos Apóstolos, que receberam a plenitude do sacerdócio e têm a missão de reger suas dioceses unidos ao Papa.

Quem são os sacerdotes?
Os Sacerdotes ou presbíteros são aqueles fiéis que, pela ordenação sacerdotal, participam sacramentalmente do Sacerdócio de Cristo, sendo constituídos cooperadores dos bispos para pregar o Evangelho, administrar os sacramentos e levar a Deus aos fiéis que lhes são encomendados.

Quem são os leigos?
Os leigos são aqueles fiéis que, por vocação divina, estão destinados a buscar o Reino de Deus, tratando e ordenando as coisas temporais segundo a vontade de Deus.

Os leigos participam das funções de Cristo?
Sim, os leigos participam das funções de Cristo, que é Sacerdote, Profeta e Rei.

Onde os leigos devem buscar a santidade e exercer o apostolado?
Os leigos devem buscar a santidade e exercer o apostolado em meio ao mundo, em sua própria vida secular ordinária: no exercício de seu trabalho e na família.

Quem dá aos leigos o direito e o dever de fazer apostolado?
Deus mesmo, por meio do Batismo e a Confirmação, dá aos leigos o direito e o dever de fazer apostolado e santificar o mundo, tanto individualmente como agrupados em associações.

Os leigos podem ser chamados a colaborar com seus pastores no serviço eclesial?
Os leigos podem ser chamados a colaborar com seus pastores em ministérios muito diferentes, segundo a graça e o carisma que o Senhor queira conceder-lhes, mas tendo em conta que sua missão própria na Igreja é a transformação da ordem temporal como parte do que conhecemos como "Evangelização da Cultura"

O que se entende por vida consagrada?
Por vida consagrada se entende aquela forma de vida que se caracteriza pela consagração da própria vida pela profissão de compromissos -usualmente chamados "conselhos evangélicos" - de pobreza, castidade e obediência, em uma vida em comum estável e celibatária reconhecida pela Igreja.

Quem pertence ao estado de vida consagrada?
Pertencem ao estado de vida consagrada os religiosos, os membros dos institutos seculares, e as novas sociedades de vida em comum, cuja evolução na via da Igreja se parece a uma árvore maravilhosa e cheia de ramos, a partir de uma semente posta por Deus em sua Igreja. 

A COMUNHÃO DOS SANTOS

Comunhão quer dizer "comum união" , e Comunhão dos Santos quer dizer união comum com Jesus Cristo de todos os santos do céu, das almas do purgatório e dos fiéis que ainda peregrinam na terra.

É a união de todos os santos entre si. Os do céu intercedem pelos demais; os da terra honram aos do céu e encomendam a sua intercessão, também oram e oferecem sufrágios pelos defuntos do purgatório, e estes também intercedem a nosso favor.

O que é a comunhão dos santos?
A comunhão dos santos é a união comum que há entre Jesus Cristo, Cabeça da Igreja, e seus membros, e destes entre si.

Quem são os membros da Igreja?
Os membros da Igreja são os santos do céu, as almas do purgatório e os fiéis da terra.

Os que não estão em graça de Deus participam da Comunhão dos santos somente enquanto podem alcançar alguns benefícios do Senhor e principalmente a graça da conversão. 

MARIA MÃE DA IGREJA

O Papa Paulo IV dirigindo-se aos padres conciliares do Vaticano II, declarou que Maria Santíssima é Mãe da Igreja.

A Virgem Maria é a Mãe de todos os homens e especialmente dos membros do Corpo Místico de Cristo, desde que é Mãe de Jesus pela Encarnação. O próprio Jesus o confirmou desde a Cruz antes de morrer, dando-nos a sua Mãe como nossa mãe na pessoa de São João, e o discípulo a acolheu como Mãe; nós devemos ter a mesma atitude que o Discípulo Amado. Por isso, a piedade da Igreja para com a Santíssima Virgem é um elemento intrínseco do culto cristão. Vamos cumprindo assim a profecia da Virgem, que disse: "Todas as gerações me chamarão Bem-aventurada" (Lc 1,48).

Por que Maria é a Mãe da Igreja?
Maria é Mãe da Igreja porque, ao ser Mãe de Cristo, é também mãe dos fiéis e dos pastores da Igreja,que formam com Cristo um só Corpo Místico.

Por que chamamos Maria de Mediadora e Cooperadora da Redenção?
Chamamos Maria de Mediadora e Cooperadora da Redenção porque, com sua caridade maternal e sua colaboração no Sacrifício de Cristo, participou em nossa reconciliação, que aplica aos irmãos de seu Filho ainda peregrinos com sua constante e amorosa intercessão.

Que culto a Igreja tributa à Santíssima Virgem?
A Igreja tributa à Virgem um culto singular que começou cedo na Igreja e que durará para sempre, segundo as palavras proféticas de Maria: "Todas as gerações me chamarão Bem-aventurada". Esse amor que os fiéis tributam a Maria como Mãe, procurando amá-la como a o Senhor Jesus a ama, é o que conhecemos como Piedade Filial. 

O PERDÃO DOS PECADOS

Já no Antigo Testamento Deus convidou aos homens à conversão dos pecados e lhes ofereceu a misericórdia.

No Evangelho nos é repetido este chamado à conversão e à penitência com mais força, Jesus Cristo é o que se ofereceu em sacrifício por nossos pecados; não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo (1Jo 2,2). Jesus Cristo deu aos Apóstolos e a seus sucessores o poder de perdoar os pecados pelo Batismo e a Confissão.

Existe o perdão pelos pecados?
Sim, existe o perdão dos pecados porque Jesus Cristo deu aos Apóstolos o poder de perdoá-los para reconciliar ao homem com Deus e com os irmãos.

Quais foram as palavras do Senhor ao conceder aos Apóstolos a potestade de perdoar os pecados?
As palavras de Cristo ao conceder aos Apóstolos a potestade de perdoar os pecados foram: "Recebam o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, lhes serão perdoados; mas a quem não perdoardes não serão perdoados"

Como os Apóstolos cumpriram o encargo de perdoar os pecados?
Os Apóstolos cumpriram o encargo de perdoar os pecados dando o sacramento do Batismo ao não cristãos e o sacramento da Penitência aos fiéis que pecam depois do Batismo.

A RESSURREIÇÃO DA CARNE

Como conseqüência do pecado original, nossa vida na terra termina com a morte. Adão pecou e entrou o pecado no mundo, e através do pecado a morte.

Mas nem tudo termina com a morte. A alma, que é imortal, se separa do corpo, mas continua vivendo e recebe de Deus o prêmio ou o castigo merecido por suas obras realizadas durante sua vida terrena. No fim do mundo ressuscitarão nossos próprios corpos e eles se unirão à nossa alma. Então nosso Senhor Jesus Cristo virá com glória e majestade a julgar a todos os homens, unidas já as almas a seus próprios corpos, para nunca mais morrer.

O que é a morte?
A morte é a separação da alma e do corpo.

O que quer dizer ressurreição da carne? 
Ressurreição da carne quer dizer que, como Cristo ressuscitou, assim também nós ressuscitaremos no fim do mundo, voltando a unir nossas almas com nossos corpos, para nunca mais morrer.

Para quê ressuscitará nosso corpo? 
Nosso corpo ressuscitará para ser julgado juntamente com nossa alma e receber o prêmio ou castigo eterno segundo tenham sido as obras que fez o homem com seu corpo e sua alma. 

a vida eterna

Na hora da morte, os que estão totalmente limpos de pecado vão ao céu para sempre. Os que morrem em graça de Deus, mas com alguma mancha de pecado ou dívida pelos pecados perdoados, antes vão ao Purgatório para purificar-se totalmente.

Os que morrem em pecado mortal, e portanto separados de Deus, vão ao Inferno, onde serão castigados eternamente por ter rejeitado a Deus.

O que é o juízo particular?
O juízo particular é o que Deus faz ao homem, imediatamente depois de sua morte, para dar-lhe prêmio ou castigo segundo suas obras.

Em que consiste o Céu?
O céu consiste e ver, amar e possuir definitivamente a Deus, gozando de seu infinito bem e, com Ele, de todos os demais bens sem mistura de mal algum.

Quem vai para o céu?
Vai ao céu os que morrem em graça de Deus.

A que a Igreja chama Purgatório?
A Igreja chama Purgatório à purificação dos que morrem em graça de Deus, sem ter satisfeito por seus pecados; com um castigo diferente ao dos condenados, se prepara para entrar no céu.

Como podemos ajudar às almas do purgatório?
Podemos ajudar às almas do purgatório com orações, boas obras, indulgências, e especialmente com a Santa Missa.

O que é o Inferno?
O Inferno é a privação definitiva de Deus e a condenação pelo fogo eterno com o sofrimento de todo mal sem mistura de bem algum, porque não há amor, mas solidão eterna.

Quem vai ao inferno?
Vão ao inferno os que morrem em pecado mortal, porque rejeitaram a graça de Deus.

O que é o juízo universal?
O juízo universal é o juízo público que Jesus Cristo fará de todos os homens no fim do mundo.

 

SEGUNDA PARTE: A CELEBRAÇÃO DO MISTÉRIO CRISTÃO

OS SETE SACRAMENTOS DA IGREJA

Jesus Cristo, em seu amor infinito aos homens, instituiu os sete sacramentos, por meio dos quais chegam até nós os bens da redenção.

Os Sacramentos são eficazes em si mesmos, porque neles Cristo atua diretamente. Enquanto sinais externos tem uma finalidade pedagógica: alimenta, fortalecem e expressam na fé.

Quanto melhor é a disposição da pessoa que recebe os sacramentos, mais abundantes são os frutos da graça.

O que são os sacramentos?
São sinais eficazes da graça, instituídos por Jesus Cristo e confiados à Igreja, pelos quais não é dispensada a vida divina.

Quantos e quais são os sacramentos?
Os sacramentos são sete, a saber: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Unção dos enfermos, Ordem sacerdotal, e Matrimônio.

O que é o caráter sacramental?
O caráter sacramental é um selo espiritual que configura com Cristo todo aquele que o recebe. Por isso, trata-se de m selo indelével, quer dizer, permanente e, portanto, o cristão o recebe apenas uma vez na vida.

Quais são os sacramentos que imprimem caráter?
São: Batismo, Confirmação e ordem Sacerdotal. 

O BATISMO

Nossos pais nos deram a vida natural do corpo, mas Deus nos dá a alma e nos destina, além disso, a uma vida sobrenatural; nascemos privados dela pelo pecado original, herdado de Adão.

O batismo apaga o pecado original, nos dá a fé e a vida divina, e nos torna filhos de Deus. A Santíssima Trindade toma posse da alma e começa a nos santificar.

Segundo o plano de amor do Senhor, o batismo é necessário para a salvação.

O que é o batismo?
É o sacramento pelo qual nascemos para a vida e nos tornamos filhos de Deus.

Por que o batismo é o primeiro dos sacramentos?
É o primeiro dos sacramentos porque é a porta que dá acesso aos demais sacramentos, e sem ele não se pode receber nenhum outro.

Que efeitos produz o batismo?
Os efeitos que o batismo produz são: perdoa o pecado original, e qualquer outro pecado, com as penas devidas por eles. Nos dá as três divinas pessoas junto com a graça santificante. Infunde a graça santificante, as virtudes sobrenaturais e os dons do Espírito a graça santificante, as virtudes sobrenaturais e os dons do Espírito Santo. Imprime na alma o caráter sacramental que nos faz cristãos para sempre e somos incorporados à Igreja.

O Batismo é necessário para a salvação?
Segundo o plano do Senhor o batismo é necessário para a salvação, assim como a própria Igreja, à qual o batismo introduz.

Quem pode batizar?
Ordinariamente podem batizar o bispo, o sacerdote e o Diácono, mas em caso de necessidade qualquer pessoa que tenha intenção de fazer o que a Igreja faz.

Como se batiza?
O batizado se realiza derramando água sobre a cabeça e dizendo: "Eu te Batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".

O que é o Catecumenato?
É a preparação que devem receber aqueles que serão batizados tendo alcanço o uso da razão. 

A CONFIRMAÇÃO

O sacramento da Confirmação aperfeiçoa a graça batismal, e nos dá a fortaleza de Deus para sermos firmes na fé e no amor a Deus e ao próximo.

Dá-nos também audácia para cumprir o direito e o dever, que temos pelo batismo, de ser apóstolos de Jesus, para difundir a fé e o Evangelho, pessoalmente ou associados, mediante a palavra e o bom exemplo.

O que é a confirmação?
É o sacramento que aperfeiçoa a graça batismal fortalecendo-nos na fé e tornando-nos soldados e apóstolos de Cristo.

Quando confirmação deve ser recebida?
A confirmação deve ser recebida quando já se alcançou o uso da razão, ou antes, se há perigo de morte.

Como a confirmação deve ser recebida?
A confirmação deve ser recebida em estado de graça e com a preparação conveniente.

Quem pode confirmar?
Pode confirmar o bispo e em alguns casos especiais os sacerdotes delegados pelo bispo. 

A EUCARISTIA

A santa Missa
Jesus quis deixar para a Igreja um sacramento que perpetuasse o sacrifício de sua morte na cruz. Por isso, antes de começar sua paixão, reunido com seus apóstolos na última ceia, instituiu o sacramento da Eucaristia, convertendo pão e vinho em seu próprio corpo vivo, e o deu de comer, fez partícipes de seu sacerdócio aos apóstolos e mandou-lhes que fizessem o mesmo em sua memória.

Assim a Santa Missa é a renovação do sacrifício reconciliador do Senhor Jesus. Além de ser uma obrigação grave assistir à Santa Missa aos domingos e feriados religiosos de preceito -a menos que esteja impedido por uma causa grave-, é também um ato de amor que deve brotar naturalmente de cada cristão, como resposta agradecida frente ao imenso dom que significa que Deus se faça presente na Eucaristia.

O que é a Eucaristia?
É o sacramento do corpo e do sangue de Jesus Cristo sob as espécies de pão e vinho. Por meio da consagração, o sacerdote converte realmente no corpo e sangue de Cristo o pão e vinho oferecido no altar.

O que é a Santa Missa?
É a renovação sacramental do sacrifício da cruz.

A Santa Missa é o mesmo sacrifício da Cruz?
Sim, a Santa Missa é o mesmo sacrifício da Cruz, mas sem derramamento de sangue, pois agora Jesus Cristo encontra-se em estado glorioso.

Quem pode celebrar a Santa Missa?
Somente os sacerdotes podem celebrar a Santa Missa, pois somente eles podem atuar personificando a Cristo, cabeça da Igreja.

Quais são os fins pelos quais se oferece a Santa Missa?
Os fins pelos quais se oferece a Santa Missa são quatro: adorar a Deus, agradecer por seu benefícios, pedir-lhe dons e graças, e para a satisfação por nossos pecados.

A Santa Comunhão
A Eucaristia é também banquete sagrado, no qual recebemos a Jesus Cristo como alimento de nossas almas.

A Comunhão é receber a Jesus Cristo sacramentado na Eucaristia; de maneira que, ao comungar, entra em nós mesmos Jesus Cristo vivo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem,com seu corpo, sangue, alma e divindade.

A Eucaristia é a fonte e cume da vida a Igreja, e também de nossa vida em Deus. A Igreja manda comunga pelo menos uma vez ao ano, em estado de graça; recomenda vivamente a comunhão freqüente e, se possível, sempre que se assista a Santa Missa, para que a participação do sacrifício de Jesus seja completa.

É muito importante receber a Primeira Comunhão quando se chega ao uso da razão, com a devida preparação.

O que é a Santa Comunhão?
A Sagrada Comunhão é receber Jesus Cristo presente na Eucaristia.

De que modo Jesus Cristo está presente na Eucaristia?
Jesus Cristo está na Eucaristia verdadeira, real e substancialmente presente, inteiro, vivo e glorioso, com seu corpo, sangue, alma e divindade, em cada uma das espécies e em qualquer parte delas.

A Hóstia consagrada é uma "coisa"?
Não, a Hóstia consagrada não é uma "coisa", embora o pareça; é uma Pessoa Divina, é Jesus vivo e verdadeiro.

Quem pode comungar?
Pode comungar quem estiver em graça de Deus, guardar o jejum eucarístico e saber quem vai receber.

Em que consiste o jejum eucarístico?
Consiste em abster-se de tomar qualquer alimento ou bebida, pelo menos uma hora antes da Sagrada Comunhão, exceto água e remédios. Os doentes e seus assistentes podem comungar mesmo que tenham tomado algo na hora imediatamente anterior.

Quando se recebe a primeira comunhão?
A primeira comunhão pode ser recebida quando se começa a ter uso da razão, o que se supõe a partir dos sete anos; tendo recebido previamente a preparação oportuna e o sacramento da penitência.

Que pecado comete quem comunga em pecado mortal?
Quem comunga em pecado mortal comete um grave pecado chamado sacrilégio.

O que deve fazer quem deseja comungar e encontra-se em pecado mortal?
Quem deseja comungar e encontra-se em pecado mortal não pode receber a Comunhão sem recorrer antes ao sacramento da Penitência, pois para comungar não basta o ato de contrição. 

A RECONCILIAÇÃO

Os cristãos estamos chamados à santidade:e para isso devemos viver me graça de Deus; mas podemos perder a graça batismal pelo pecado mortal, que mata a vida sobrenatural da alma e rompe a amizade e a comunhão com Deus. O pecado, como explica o Papa João Paulo II, é um ato suicida, porque antes de tudo, o homem fere-se a si mesmo, destruindo toda boa obra.

O Senhor Jesus instituiu o sacramento da penitência, que também se chama muito adequadamente "Sacramento da Reconciliação" ou Confissão, para perdoar os pecados cometidos depois do Batismo e abrir-nos assim a porta à reconciliação com Deus.

Jesus Cristo, por ser Deus, tem poder para perdoar os pecados, e deu este poder aos Apóstolos e seus sucessores no sacerdócio, que atuam "na pessoa de Cristo"; ou seja, que, de fato, é o mesmo Jesus Cristo quem perdoa pelo mistério do sacerdote.

O que é o sacramento da reconciliação?
É o sacramento instituído por Jesus Cristo para perdoar os pecados cometidos depois do Batismo.

O que é necessário para fazer uma boa confissão?
Para fazer uma boa confissão é necessário:
1º Exame de consciência.
2º Dor pelos pecados.
3º Propósito de emenda.
4º Dizer os pecados ao confessor.
5º Cumprir a penitência.

O que é o exame de consciência?
É lembrar os pecados cometidos desde a última confissão bem feita.

O que é a dor pelos pecados?
È um sentimento ou pena de ter ofendido a Deus.

O que é propósito de emenda?
O propósito de emenda é uma firme resolução de não voltar a pecar e de evitar tudo o que possa ser ocasião de cometer pecados.

Que pecados devemos confessar?
Devemos confessar todos os pecados mortais não confessados anteriormente, com seu número e circunstâncias. Convém dizer também os pecados veniais.

Que pecado comete aquele que cala por vergonha a confissão de algum pecado mortal?
Aquele que cala por vergonha a confissão de algum pecado mortal comete um grave pecado chamado sacrilégio, e os outros pecados confessados não são perdoados.

O que acontece se na confissão esquecer de algum pecado mortal?
Se for esquecida a confissão de algum pecado mortal, a confissão vale, mas o pecado esquecido deve ser manifestado na próxima confissão.

O que é cumprir a penitência?
Cumprir a penitência é rezar as orações e fazer as boas obras que manda o confessor.

O que é o segredo de confissão?
O segredo de confissão é o silêncio absoluto que o sacerdote está obrigado a guardar sobre os pecados escutados na confissão. 

A ORDER SACERDOTAL

Em virtude do Batismo e da Confirmação, todos os fiéis participam do sacerdócio de Jesus Cristo. Mas os que recebem o sacramento da Ordem tem, além disso, o sacerdócio ministerial ou hierárquico, que se diferencia do sacerdócio comum dos fiéis "essencialmente e não apenas em grau" (Lumen Gentium, 10).

Este sacramento da Ordem consagra o que recebe, configurando-o de modo particular com Jesus Cristo e capacitando-o para atuar na mesma pessoa de Cristo para o bem de todo o povo de Deus.

O que é a Ordem Sacerdotal?
É o sacramento que alguns fiéis são constituídos ministros sagrados, sendo cooperadores do Bispo com quem formam um presbitério.

Por que este sacramento se chama Ordem?
Porque compreende vários graus subordinados entre si.

Quais são as funções principais dos sacerdotes?
As funções principais dos sacerdotes são: Celebrar o Santo Sacrifício da Missa, perdoar os pecados na Confissão, administrar os demais sacramentos, pregar a Palavra de Deus e dirigir os fiéis nas coisas que se referem a Deus.

Os sacerdotes são necessários?
Os sacerdotes são necessários e insubstituíveis, pois sem eles não existiria a Igreja tal como fundada por Jesus Cristo. Por isso todos os cristãos devemos colaborar no fomento e formação das vocações sacerdotais. 

O MATRIMÔNIO

O Matrimônio foi instituído por Deus quando criou o homem e a mulher. Para os cristãos, Jesus Cristo o elevou à dignidade de sacramento; um sacramento que dá aos esposos uma graça especial para serem fiéis um ao outro e santificar-se na vida matrimonial e familiar, já que o matrimônio cristão é uma autêntica vocação sobrenatural.

O matrimônio religioso é estabelecido com o consentimento livre de cada um dos dois contraentes manifestado ao representante da igreja.

O Matrimônio por sua natureza está ordenado à geração e à educação dos filhos, ao amor e ajuda entre os esposos e a sua santificação pessoal.

O que é o Matrimônio?
O Matrimônio é o sacramento que santifica a união indissolúvel entre um homem e uma mulher cristão, e concede-lhe a graça para cumprir fielmente seus deveres de esposos de pais.

Quais são as propriedades essenciais do Matrimônio?
As propriedades essenciais do Matrimônio são: unidade, indissolubilidade e abertura à fecundidade.

Que pecado comete o cristão que, vivendo seu consorte, une-se a outra pessoa?
Comete o grave pecado de adultério.

Cometem pecado os convivientes e os unidos apenas no matrimônio civil?
Os convivientes e os unidos apenas no matrimônio civil encontram-se em permanente estado de pecado e não podem receber os sacramentos.

Qual é a idade mínima para se casar?
Na maioria das nações, a idade mínima para se casar é de 18 anos. Em qualquer caso, requer-se uma permissão da autoridade eclesiástica para fazê-lo antes da idade mínima estabelecida.

Como o sacramento do matrimônio deve ser recebido ?
O sacramento do matrimônio deve ser recebido em estado de graça e com a devida preparação; por isso recomenda-se que os contraentes se confessem antes. 

A UNÇÃO DOS ENFERMOS

O Sacramento da Unção dos Enfermos confere ao cristão uma graça especial para enfrentar as dificuldades próprias de uma doença grave ou velhice. É conhecido também como o "sagra viático", porque é o recurso, o "alívio" que leva o cristão para poder suportar com fortaleza e em estado de graça um momento de trânsito, especialmente o trânsito à Casa do Pai através da morte.

O essencial do sacramento consiste em ungir a frente e as mãos do enfermo acompanhada de uma oração litúrgica realizada pelo sacerdote ou o bispo, únicos ministros que podem administrar este sacramento.

A Unção dos enfermos antes era conhecida como "Extrema Unção", pois só era administrada "in articulo mortis" (a ponto de morrer). Atualmente o sacramento pode ser administrado mais de uma vez, sempre que for em caso de doença grave.

O que é a Unção dos Enfermos?
É o sacramento que a Igreja dá ao cristão em estado de enfermidade grave ou velhice para atrair a saúde da alma, espírito e corpo.

Quantas vezes um cristão pode receber o sacramento?
Quantas forem necessárias, sempre que estiver em estado grave. Pode recebê-lo inclusive quando o estado grave se produz com recaída de um estado anterior pelo qual havia recebido o sacramento.

Que efeitos tem a Unção dos enfermos?
A unção une o enfermo à Paixão de Cristo para seu bem e o de toda a Igreja; obtém consolo, paz e ânimo; obtém o perdão dos pecados (se o enfermo não pôde obtê-lo pelo sacramento da reconciliação), restabelece a saúde corporal (se convém à saúde espiritual) e prepara para a passagem para a vida eterna. 

 

TERCEIRA PARTE: A VIDA CRISTÃ

AS BEM-AVENTURANÇAS

As Bem-aventuranças ou beatitudes, expressam como deve ser a vida do cristão, onde está sua verdadeira realização e como conseguirá obter não somente a felicidade, mas a vida eterna. Não em vão as bem-aventuranças foram chamadas "O compêndio do Plano de Deus para o Homem".

- Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus.

- Bem os mansos porque herdarão a terra.

- Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.

- Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

- Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

- Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.

- Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.

- Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da Justiça, porque deles é o Reino dos Céus.

- Bem-aventurados sois, quando vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos porque será grande a vossa recompensa nos céus.

(Mt 5,3-12) 

A DIGNIDADE DA PESSOA

A dignidade do homem nasce do fato de ter sido criado por Deus a sua imagem e semelhança, ter sido reconciliado por Cristo e estar chamado à Bem-aventurança do Céu.

É tanta a dignidade do homem, que o Concilio Vaticano II afirma que o homem é a "única criatura na terra que Deus amou por si mesma" (Gaudium et Spes 24,3).

O homem, ajudado pela graça e usando bem a sua liberdade, pode identificar sua vontade com a vontade de deus, pois "O que Deus quer é sempre o ótimo" (Santo Tomas Moro a sua filha Margarida).

De onde nasce a dignidade do homem?
A dignidade do homem nasce de ser criado por Deus a sua imagem e semelhança, de ter sido reconciliado por Cristo e de estar chamado, mediante a graça, a alcançara sua plenitude na bem-aventurança do céu.

Como pode o homem chegar à felicidade do céu?
Mediante o exercício de sua liberdade, praticando o bem, cumprindo em sua vida o amoroso plano que Deus tem para ele.

O que é a liberdade?
A liberdade é a capacidade que o homem tem de executar por si mesmo ações deliberadas. A liberdade é no homem sinal eminente da imagem divina.

Quando a liberdade humana alcança seu grau máximo?
A liberdade humana alcança seu grau máximo quando o homem descobre o plano de amor que Deus tem para ele e o vive plenamente em sua atuação diária. 

MORALIDADE DE ATOS HUMANOS

A liberdade faz do homem um sujeito moral. Quando atua de maneira deliberada, o homem é responsável pelos seu atos. Os atos humanos, ou seja, os atos livremente realizados após um juízo de consciência, são moralmente bons ou maus.

A bondade ou maldade dos atos humanos depende de: 1º o objeto escolhido, 2º a intenção ou fim que se busca e 3º as circunstâncias da ação.
A pessoa humana se ordena à bem-aventurança por meio de seus atos deliberados; as paixões ou sentimentos que experimenta podem dispor ou contribuir a isso, mas em si mesmas as paixões não são nem boas nem más; só recebem qualificativo moral na medida em que depende da razão e da vontade.

O que são os atos humanos?
Os atos humanos são os atos livres do homem.

Como se qualificam moralmente os atos livres do homem?
Os atos livres do homem podem ser atos moralmente bons ou maus, mas nunca indiferentes.

De que depende a bondade ou maldade de um ato humano?
A bondade ou maldade de um ato humano depende do objeto eleito, da intenção ou fim que se busca e das circunstâncias da ação.

O que requer para que um ato seja moralmente bom?
Para que um ato seja moralmente bom requer-se por sua vez que seja bom no objeto, no fim e nas circunstâncias.

Um fim bom justificaria o uso de alguns meios maus?
Nunca, um fim bom jamais justificaria o uso de meios maus, porque o ato seria sempre mau; por conseguinte, não está permitido fazer um mal para obter um bem.

Somente a inteligência e a vontade intervêm nos atos humanos deliberados?
Não, as paixões também intervêm, que são os impulsos da sensibilidade, e segundo dependam ou não da razão e da vontade, há nas paixões bem ou mau moral. 

A CONCIêNCIA MORAL

Cada homem leva em seu coração uma lei. Por isto, com sua inteligência e vontade pode distinguir o bem e o mal, o justo e o injusto, o permitido e o proibido.

Para ajudar a esta luz interior da consciência, que às vezes é escurecida pelo pecado e as paixões, Deus deu os Dez Mandamentos, que servem para todos e para sempre, e são norma de felicidade e do bom andamento de cada pessoa e da sociedade.

É necessário formar a consciência moral para que seja boa e segura.

O que é a consciência moral?
A consciência moral é um juízo da razão pelo qual a pessoa humana reconhece a qualidade moral de um ato concreto.

Como o homem sabe se um ato concreto é bom ou mau?
O homem sabe que um ato concreto é bom ou mau mediante sua consciência moral.

A consciência pode equivocar-se?
Sim, a consciência pode equivocar-se se não está bem formada, porque frente a um ato concreto poderia fazer um juízo errôneo contra a razão e a lei divina.

Como se forma a consciência?
A consciência é formada com o conhecimento da lei de Deus tal como a ensina o Magistério da Igreja, com a prática das virtudes, a oração, a petição de conselho especialmente no direcionamento espiritual e na recepção freqüente do sacramento da Penitência. 

AS VIRTUDES

No Batismo, Deus infunde na alma, sem nenhum mérito nosso, as virtudes, que são disposições habituais e firmes para fazer o bem.

As virtudes infusas são teologais e morais. As teologais têm como objeto a Deus; as morais têm como objeto os bons atos humanos.
As teologais são três: fé, esperança e caridade.

As morais, que chamam-se também virtudes humanas ou cardeais, são quatro: prudência, justiça, fortaleza e temperança.

Conta também o cristão com os dons do Espírito Santo, que facilitam o exercício mais perfeito das virtudes.

Com relação à virtude teologal da caridade, ou seja, do amor, deve-se ter em conta que o amor a Deus e o amor ao próximo são uma mesma e única coisa, de modo que um depende do outro; por isto, tanto mais poderemos amar ao próximo quanto mais amemos a Deus; e, por sua vez, tanto mais amaremos a Deus quanto mais de verdade amemos ao próximo.

O que é a virtude?
A virtude é uma disposição habitual e firme para fazer o bem.

Quantas classes de virtudes existem?
Existem duas classes de virtudes: as virtudes teologais e as virtudes humanas ou morais.

Quantas são as virtudes teologais?
As virtudes teologais são três: a fé, a esperança e a caridade;

O que é a fé?
A fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus, em tudo o que Ele nos revelou e que a Santa Igreja nos ensina como objeto de fé.

O que é a esperança?
A esperança é a virtude teologal pela qual desejamos e esperamos de Deus, com uma firme confiança, a vida eterna e as graças para merecê-la, porque Deus nos prometeu.

O que é a caridade?
A caridade é a virtude teologal pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos por amor a Deus, com o amor filial e fraterno que Cristo nos mandou.

Por que devemos amar a Deus sobre todas as coisas?
Devemos amar a Deus sobre todas as coisas porque somente Deus é infinitamente amável e porque nos criou para o Céu.

Por que devemos amar ao próximo?
Devemos amar ao próximo porque todos os homens somo irmãos, filhos do mesmo Pai celestial, redimidos com o Sangue de Jesus Cristo e destinados ao Céu.

O que são as virtudes humanas?
As virtudes humanas, chamadas também de virtudes morais, são disposições estáveis do entendimento e da vontade que regulam nossas ações, ordenam nossas paixões e guiam nossa conduta segundo a razão e a fé.

Quantas são as virtudes humanas?
As virtudes humanas ou morais são muitas, mas podem ser agrupadas em torno a quatro principais, chamadas virtudes cardeais: prudência, justiça, fortaleza e temperança.

O que é a prudência?
A prudência é a virtude que dispõe da razão prática para discernir, em toda circunstância, nosso verdadeiro bem e escolher os meios justos para realizá-lo.

O que é a justiça?
A justiça é a virtude que consiste na constante e firme vontade de dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido.

O que é a fortaleza?
A fortaleza é a virtude que assegura a firmeza e a constância na prática do bem, até mesmo nas dificuldades.

O que é a temperança?
A temperança é virtude que modera a atração para os prazeres sensíveis e procura a moderação no uso dos bens criados. 

O PECADO

O pecado é uma ofensa a Deus?
O pecado é uma falta contra a razão, a verdade e a reta consciência. É uma falta ao amor verdadeiro que devemos a Deus, a nós mesmos e ao próximo, por causa de um apego perverso a certos bens que aparecem como atrativos por efeitos da tentação, mas que na verdade são daninhos para o homem. Por isso o Papa João Paulo II afirma que o pecado, sob a aparência de "bom" ou "agradável", é sempre um ato suicida.

É grande a variedade de pecados que são cometidos por egoísmo e por falta de visão sobrenatural.

Mas Deus misericordioso quer perdoar os pecados: "Acaso tenho eu prazer na morte do ímpio? - diz o Senhor Deus - Porventura não alcançará ele a vida se converter de seus maus caminhos?" (Ez 18,23).

O Evangelho nos repete este chamado à conversão, e Jesus durante sua vida perdoou muitas vezes aos pecadores e, além disso, deu seu poder divino aos Apóstolos e a seus sucessores para perdoar os pecados.

O que é o pecado?
O pecado é uma palavra, um pensamento, um ato, um desejo ou uma omissão contrários ao plano de felicidade que Deus tem para o homem.

O que é um pecado mortal?
Um pecado mortal é escolher deliberadamente, quer dizer, sabendo e querendo, uma coisa gravemente contrária à lei divina e ao fim último do homem.

Que conseqüências tem o pecado mortal?
O pecado mortal entranha a perda da caridade e a privação da graça santificante, quer dizer, do estado de graça. Sem o arrependimento do homem e o perdão de Deus, causa a morte eterna no inferno.

O que devemos fazer se tivemos a desgraça de cometer um pecado mortal?
Se tivemos a desgraça de cometer um pecado mortal, devemos pedir de coração perdão a Deus e nos reconciliarmos com Ele o quanto antes, fazendo uma boa confissão.

Que conseqüências tem a reiteração de pecados?
A reiteração de pecados, inclusive daqueles que são mortais, geram os vícios, entre os quais se distinguem os pecados capitais. 

O CRISTÃO E A SOCIEDADE

O homem é um ser social por natureza. A pessoa humana necessita da vida social, porque ninguém é auto-suficiente. Por isso, temos a tendência natural que nos impulsiona a nos associar, com o fim de alcançar objetivos que excedem as capacidades individuais. A família e a cidade são sociedades que diretamente correspondem à natureza do homem, e outras ações com fins econômicos, culturais, esportivos, etc.; expressam também a necessidade do homem de viver em sociedade.

Toda sociedade deve ter sua autoridade, para que tenha unidade e para assegurar, na medida do possível, o bem comum da própria sociedade; bem que também está relacionado com o de outras sociedades e com o bem comum de toda a sociedade humana.

O fim último da sociedade é a pessoa humana, e por isto a justiça social só pode ser conseguida se tem o devido respeito à dignidade transcendente do homem, criado por Deus a sua imagem e semelhança, com uma alma racional e com um fim supremo, que é a glória do Céu.

A igualdade na dignidade e as diferenças entre os homens reclamam a fraternidade, o serviço, a solidariedade humana e a claridade sobrenatural, como expressões concretas da reconciliação trazida pelo Senhor Jesus.

O homem é sociável por natureza?
Sim, o homem é social por natureza, e não auto-suficiente.

Qual é o princípio, o sujeito e o fim de todas as instituições sociais?
O princípio, o sujeito e o fim de todas as instituições sociais é e deve ser a pessoa humana.

Deve haver uma autoridade na comunidade humana?
Toda a comunidade humana necessita de uma autoridade para manter-se e desenvolver-se. A comunidade política e a autoridade pública se fundam na natureza humana e por isso pertence à ordem querida por Deus.

Quando a autoridade é exercida de maneira legítima?
A autoridade é exercida de maneira legítima se busca o bem comum da sociedade. Para alcançá-lo deve-se empregar meios moralmente legítimos.

O que é o bem comum?
O bem comum é o conjunto daquelas condições da vida social que permitem aos grupos e a cada um de seus membros conseguir mais plena e facilmente sua perfeição.

Quais são os elementos essenciais que comporta o bem comum?
O bem comum comporta três elementos essenciais: o respeito e a promoção dos direitos fundamentais da pessoa, a prosperidade ou o desenvolvimento dos bens espirituais e temporais da sociedade, a paz e a segurança do grupo e de seus membros.

De que maneira a sociedade assegura a justiça social?
A sociedade assegura a justiça social procurando as condições que permitam às associações e aos indivíduos obter o que lhes é devido.

Todos os homens têm a mesma dignidade?
Sim, todos os homens têm a mesma dignidade, porque todos foram criados por Deus a sua imagem e semelhança; todos têm uma alma racional e imortal, foram reconciliados por Cristo e estão chamados à bem-aventurança eterna do céu.

O que é a solidariedade?
A solidariedade é uma virtude eminentemente cristã que leva aos homens a comunicarem os bens espirituais e materiais para ajudar-se entre eles. 

A LEI MORAL

O Plano de Deus mostra ao homem o caminho que deve seguir para praticar o bem e alcançar seu fim último: a plena reconciliação e a salvação.

O Antigo Testamento de Deus dá a seu Povo, por meio de Moisés, os Dez Mandamentos, que são o resumo da Lei moral.

No Novo Testamento Jesus Cristo nos dá a Lei evangélica, que é a perfeição da Lei divina natural e revelada.

Como a lei moral pode ser classificada?
A lei moral pode ser classificada em lei natural, lei moral antiga ou lei de Moisés, e lei moral nova ou lei evangélica.

Que passos seguiu a lei moral?
A lei moral seguiu três passos: 1o foi escrita a lei natural no coração dos homens; 2o foi revelada por Deus nos Dez Mandamentos; e 3o Jesus Cristo confirmou e aperfeiçoou a lei divina e revelada por meio dos ensinamentos do Evangelho e a virtude do Espírito Santo. 

GRAÇA E JUSTIFICAÇÃO

O homem, movido pela graça de Deus, que recebe o Batismo, obtém a justificação, e lhe são infundidas na alma a fé a esperança e a caridade.
A justificação é a obra mais excelente do amor de Deus, manifestado em Jesus Cristo e concedido pelo Espírito Santo.

A graça é uma participação da vida de Deus e nos introduz na vida trinitária. Ao nos tornarmos "filhos adotivos" podemos chamar a Deus verdadeiramente de "Pai" e estamos chamados a ser perfeitos com o é o Pai Celestial, ou seja, estamos chamados à santidade pessoal, seja qual for o estado ou regime de vida.

O que é a graça?
A graça é participação na vida de Deus; nos introduz na intimidade da vida trinitária.

Como se relacionam a graça de Deus e a liberdade humana?
A iniciativa divina na obra da graça previne, prepara e suscita a resposta livre do homem.

O que é a graça santificante?
A graça santificante é o Dom gratuito de Deus nos faz de sua vida, infundida pelo Espírito Santo em nossa alma para curá-la do pecado e santificá-la, tornando-nos filhos de Deus.

O que é a graça atual?
A graça atual é um Dom transitório que Deus nos dá para nossa conversão ou para nossa santificação.

O que são os carismas?
Os carismas são graças especiais do Espírito Santo, que estão ordenados à graça santificante e têm por finalidade o bem comum da Igreja.

Estão todos os homens chamados à santidade?
Sim, todos os homens estão chamados à santidade, seja qual for o seu estado e regime de vida, porque todos estão chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade.

a igreja mãe e mestra

Afirma São Cipriano: "Ninguém pode ter a Deus por Pai, se não tem a Igreja como mãe" (De cathol. Ecc. Unitate, 6).

Os cristãos recebemos da Igreja a Palavra de Deus escrita e os ensinamentos de Cristo por meio dos Apóstolos; recebemos os sacramentos que dão vida; os exemplos de santidade, e o Magistério seguro e infalível nas verdades de fé moral.

A Igreja, além de ensinar com autoridade, pode também impor preceitos a seus membros para ajudá-los a melhor atuar e a santificar-se; estes preceitos são obrigatórios.

O Magistério da Igreja tem competência em matéria moral?
Sim, o Magistério da Igreja tem competência em matéria moral.

O Papa e os Bispos têm este Magistério?
Sim, o Papa e os Bispos têm este Magistério em matéria moral porque, como mestres autênticos, devem pregar ao Povo de Deus a fé que deve ser crida e aplicada nos costumes e às questões morais.

A infalibilidade do Magistério da Igreja se estende também à moral?
Sim, a infalibilidade do Magistério da Igreja também se estende à moral.

Pode a Igreja impor preceitos aos católicos?
Sim, a Igreja pode impor preceitos aos católicos, para ajudá-los a cumprir certos deveres e a santificar-se.

Quais são os principais preceitos da Igreja?
São cinco:
1º Participar da Missa inteira todos os domingos e feriados religiosos de preceito.
2º Confessar os pecados mortais, pelo menos uma vez ao ano, quando for comungar e em perigo de morte.
3º comungar uma vez ao ano, preferencialmente no tempo pascal.
4º Jejuar e abster-se de comer carne quando pede a Igreja.
5º Contribuir com o sustento da Igreja, na medida das possibilidades de cada um. 

os dez mandamentos

No Antigo Testamento, Deus entregou os Dez Mandamentos a Moisés no Sinai para ajudar a seu povo eleito a cumprir a lei divina.

Jesus Cristo, na lei evangélica, confirmou os Dez Mandamentos e os aperfeiçoou com sua palavra e com seu exemplo. Nosso amor a Deus se manifesta no cumprimento dos Dez Mandamentos e dos preceitos da Igreja.

Definitivamente, todos os Mandamentos se resumem em dois: amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo, e ainda mais, como Cristo nos amou.

Basta crer para salvar-se?
Não basta crer para se salvar, pois diz Jesus Cristo: se quereis a salvação, cumpre os dez mandamentos.

Quem deu os Dez Mandamentos?
Deus mesmo deu os Dez Mandamentos a Moisés, e Jesus Cristo os confirmou e aperfeiçoou com sua palavra e com seu exemplo.

Quais são os Dez Mandamentos da Lei de Deus?
Os Dez Mandamentos da Lei de Deus são:
1º Amarás a Deus sobre todas as coisas.
2º Não tomarás o Nome de Deus em vão.
3º Santificarás as festas.
4º Honrarás a teu pai e a tua mãe.
5º Não matarás.
6º Não cometerás atos impuros.
7º Não roubarás.
8º Não dirás falso testemunho nem mentirás.
9º Não consentirás pensamentos nem desejos impuros.
10º Não cobiçarás os bens alheios. 

 

QUARTA PARTE: O CRISTÃO E A ORAÇÃO

A oração na vida cristã

A oração é falar com Deus; conversar com nosso Pai do Céu, com Jesus, com o Espírito Santo; conversar com nossa Mãe Virgem Maria, com o anjo custódio, com os santos.

Neste diálogo o mais natural é que digamos louvores, demos graças, peçamos perdão ou imploremos pelo que necessitamos.

Para um cristão orar é um dever. Se considerarmos bem: tamanha a nossa sorte, poder falar com Deus ou coma Virgem, com simplicidade e confiança de um filho com seu pai, com sua mãe! Porque eles são isto para nós; e sabemos que nos amam e que podem tudo.

Deus escuta sempre nossas orações; diz a Bíblia: "Me invocarão, e eu lhes escutarei" (Jr 29,12); "Pedi e recebereis" (Jo 16,24).

O que é orar?
Orar é dialogar com Deus, nosso Pai celestial, para escutá-lo, louvá-lo, dar-lhe graças e pedir-lhe aquilo que nos convém.

Temos obrigação de orar a Deus?
Sim, temos obrigação de orar a Deus; mas não somente obrigação, mas necessidade, porque Deus é nosso Senhor e nosso Pai, porque Jesus Cristo nos manda e porque a oração é o meio simples de alcançar a graça e os demais benefícios de Deus. São Afonso Maria de Ligório ensinava claramente: "aquele que não reza, não se salva".

Deus escuta sempre nossas orações?
Sim, Deus escuta sempre nossas orações e nos concede o que é mais conveniente para nossa salvação.

De quantas maneiras pode ser a oração?
A oração pode ser mental e vocal; ou seja, feita somente com a mente ou feita com palavras ditas com atenção.

Devemos orar à Santíssima Virgem Maria?
Sim, devemos orar à Santíssima Virgem Maria porque é a Mãe de Deus e é nossa Mãe que intercede por nós e a qual Jesus nada negará quando fale de nós. A história da Igreja está marcada pela experiência de que Maria Santíssima nossa Mãe escuta sempre a seus filhos. Como bem diz uma antiga oração cristã: "jamais ouviu-se dizer que algum dos que acudiram a tua proteção, implorando teu auxílio, tenha sido abandonado por ti".

Devemos orar também ao anjo custódio e aos santos?
Sim, devemos orar ao anjo custódio porque está a nosso lado sempre para ajudar-nos, e aos santos porque intercedem por nós perante Deus. 

COMO DEVEMOS ORAR

Dissemos que orar é falar, conversar com Deus, com Jesus, com a Virgem; portanto pensemos antes de tudo quem são eles e quem sou eu; em seguida vemos que a oração deve ser humilde e atenta, cheira de confiança e perseverante; uma e outra vez, sem nos cansar; porque Eles nos amam e podem tudo, e nós necessitamos muito.

Jesus nos diz: "Peçam e vos será dado; buscai e achareis, batei vos será aberto"(Mt 7, 7-9).

Isto quer dizer que o fruto da oração é seguro, porque tem a promessa do Senhor e nunca é inútil, se pedimos como devemos pedir.

Como devemos orar?
Devemos orar com humildade, atenção, confiança e perseverança.

Como Jesus ensinou a seus discípulos a orar?
Jesus ensinou a seus discípulos a orar com fé viva e coração puro, com humildade e constância, pedindo em seu nome.

O que devemos pedir na oração?
Na oração devemos pedir principalmente a glória de Deus e seu Reinado, o perdão de nossos pecados, a salvação eterna e por qualquer outra necessidade.

Tem especial eficácia perante Deus a oração litúrgica?
Sim, a oração litúrgica tem especial eficácia perante Deus, porque é a oração pública e oficial da Igreja. 

o pai nosso

A oração mais excelente é o Pai nosso; porque nos foi ensinado pelo próprio Jesus Cristo. No Pai Nosso há sete petições e é a oração cristã fundamental e mais perfeita.

Quando for rezar o Pai Nosso, esteja atento ao que diz e ao que pede, para que sua oração seja mais autêntica.

Qual é a oração mais excelente?
A oração mais excelente é o Pai Nosso, que nos foi ensinado pelo próprio Jesus Cristo, porque nela pedimos tudo o que podemos desejar.

Por que chamamos a Deus de Pai?
Chamamos Deus de Pai porque, pelo Batismo, somos verdadeiros filhos de Deus.

Que objeto tem as três primeiras petições do Pai Nosso?
As três primeiras petições do Pai Nosso têm por objeto a Glória do Pai: a santificação de seu Nome, a vinda de seu Reino e o cumprimento de sua vontade.

Que objeto tem as outras quatro petições?
As outras quatro petições têm por objeto nossa vida: para alimentá-la e para curá-la do pecado; e pedimos também ajuda em nosso combate pela vitória do Bem sobre o Mal.

Por que ao final dizemos "Amém"?
Ao final dizemos "Amém", expressando nosso desejo de que se cumpra o que pedimos nas sete petições. Assim seja. 

Compartilhe esta página:

Paróquia de Prados nas redes sociais

         

Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Prados

Rua Prof. Antônio Américo, 05 - Centro - Cx. Postal 36 - Prados / MG - CEP: 36320-000

(32) 3353-6253            paroquia@portalvertentes.com.br

desenvolvido por IMINAS.com